Posts com a Tag ‘mídias sociais’

O fantástico mundo das mídias sociais

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Criado pela Video Info Graphs o vídeo mostra os novos e fantásticamente grandes números das redes sociais mais populares no mundo: Facebook, Twitter, Linkedin, Flickr, Google +, Instagram.

Depois que os smartphones se tornaram mais acessíveis a grande parte da população os números das redes sociais cresceram ainda mais. Usuários de smartphones são duas vezes mais ativos nas mídias sociais do que outros usuários que não possuem celular com internet, afinal, a mobilidade permite que estejamos conectados o tempo todo, inlcusive no banheiro. Sim, parece estranho, mas 60% desses usuários admitem estar conectados ao mundo e às redes sociais enquanto estão no banheiro.

Mulheres (55%) também são mais ativa nas mídias sociais do que homens (45%).

Assista ao vídeo e fique você também deslumbrado com os números grandiosos dessas mídias.

O mundo está mudando, mas como você está mudando junto com ele?

segunda-feira, 14 de março de 2011

A morte sempre é um caso um tanto complicado, mas quando é anunciado via midias sociais nos faz pensar nas mudanças que o mundo moderno tem nos imposto, com ou sem o nosso consentimento: a rapidez da informação que recebemos agora, mais do que nunca, requer ação na mesma proporção.

Casos de suicídios não são tão distantes de nossas realidades quanto imaginamos, certamente todo mundo ja ouviu alguma historia de suicídio, mas o que mudou é que antigamente as notícias sobre eles eram mais restritas. Famílias que tinham casos de suicídios entre seus membros escondiam as informações, por tristeza ou por vergonha. As mensagens de suicidas, que antes eram escritas em longas cartas, hoje são declaradas em poucos caracteres, muitas vezes diretos, outras de forma subjetiva, mas estão la na internet, expostos publicamente para todo mundo ver, quase no mesmo instante da morte.

Quem não ouviu falar dos casos de Marisa Mitsue Toma, Simone Back ou Tyler Clementi?

Essas pessoas, de uma forma ou de outra, pediram ajuda via mídias sociais, “gritaram” na rede para todo mundo ouvir suas intenções, numa tentativa desesperada de que alguem as impedisse de fazer o que fariam. Mesmo com seus milhares de amigos cada uma, nenhuma dessas pessoas teve voz para se fazer ouvir. Nenhum de seus amigos interviu para saber se algo estava errado. Mesmo com toda a tecnologia disponível para se chegar até esses suicidas naquele exato momento, ninguém sequer tentou. A rapidez da informação não gerou rapidez na ação.

Será que ninguém poderia ter mudado essas histórias? A informação imediata sobre a vida e sobre as pessoas nos faz assumir uma nova responsabilidade de rapidez na tomada de atitude também. A velha Lei da Ação e Reação nos obriga a sermos ainda mais rápidos hoje com a tecnologia. Uma carta suicida anos atrás demoraria dias para ser achada, lida ou entendida, mas hoje, 140 caracteres estão a todo instante em nossa frente. Estamos recebendo todas essas infomações alegres e tristes, fúteis e úteis o tempo todo, quase em tempo real, mas o que estamos FAZENDO com essas informações? Estamos simplesmente esperando que elas passem por nós e não nos modifiquem como seres humaos, não nos atinjam, não nos comovam? Até quando continuaremos ouvintes passivos e quando nos tornaremos seres capazes de usar a tecnologia para intervir na JÁ realidade? E para se pensar…

Também e para se pensar o fato de termos um milhão de amigos online e nos momentos mais difíceis não podermos contar com nenhum. Não seria então uma distorção de valores do mundo moderno? Será que estamos trocando a qualidade pela quantidade? A proximidade real pela distância virtual, numa sensação de perspectiva distorcida, de que quem esta longe geograficamente está perto o suficiente virtualmente? Quantos amigos reais e verdadeiros temos nas mídias sociais? Quantos dos nossos contatos vão realmente notar nossa falta, sentir nossa saudade? Quais os valores e os sentimentos em relação a amizade para as futuras gerações?

Sem dúvida há muito o que se pensar, porque realmente o mundo está mudando e estamos mudando com ele, querendo ou não. Mas, se não podemos deter a mudança, ainda temos a escolha de MUDAR POSITIVAMENTE, deixando um legado de valores saudáveis e éticos para as próximas gerações. Como já disse Gandhi: “Seja a mudança que voce quer ver no mundo”. Receba as informações, ineteraja com elas, tenha opinião, lados, escolhas, personalidade e não deixe a tecnologia esconder seus verdadeiros valores de amizade, solidariedade e amor. Seja sim tecnológico, mas sem deixar de ser HUMANO.

Se você tem amigos de verdade reais ou virtuais, ligue para eles, abrace-os e deixe o nome deles nos comentários desse post. Eles se sentirão felizes por saber o que você sente por eles :)

Mídias sociais: aproximação ou distância entre as pessoas?

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Assisti este video recentemente e fiquei me perguntando se algumas (ou muitas) vezes as redes sociais não nos deixam virtualmente próximos e pessoalmente longe das pessoas.

Obviamente as mídias sociais facilitam muitos contatos à distãncia. Uma mãe que mora no Brasil consegue ter notícias do filho que faz intercâmbio na Austrália. A namorada consegue estar de certa forma próxima ao companheiro, mesmo que ela esteja na Espanha e ele no México para uma viagem de negócios.

Não há como negar que as longas distâncias se encurtam de alguma forma com as mídias sociais, mas será também que as pequenas distâncias não se alogam com elas?

Parace um pouco contraditório, mas é real. Já reparou quantos pais reclamam que os filhos não saem mais do quarto, vivem navegando e até o chamado para o jantar é feito via Twitter? Quantas mães ficam sabendo da vida dos filhos pela Internet, mas há muito tempo não perguntam, ao vivo, como eles estão ou quais são as novidades, mesmo que eles estejam no quarto ao lado? Quantos jovens passam a tarde jogando videogame e não descem mais no playground do prédio para bater uma bola com os amigos? Quantas pessoas tem um milhão de amigos virtuais, mas nunca sequer bateram na porta do vizinho para conhecê-lo ou deram “bom dia” ao entrar no elevador?

As mídias sociais facilitam muitos contatos, mas ainda há muito o que aprender com elas. È importante pensarmos que as mídias sociais são um complemento do relacionamento humano, mas não a totalidade.

Sabe a frase da propaganda daquela famosa bandeira de cartão de crédito: “….Não tem preço!”, pois é, nenhum contato virtual supera um telefonema sincero no dia do aniversário do seu amigo, um abraço apertado em um momento de dor, um sorriso companheiro no encontro dos amigos, o olhar amoroso dos pais para os filhos e dos filhos para os pais. #ficaadica

CCAA: Ação criativa no Twitter

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Fazia tempo que eu não via uma ação um pouco mais criativa nas redes sociais, mas a CCAA fez algo bem legal recentemente.

A ação é um complemento das propagandas veiculadas na TV usando parte do filme de Bruce Willis. Na telinha ou na internet o conteito é o mesmo: “Ou você se garante ou a língua derruba você”.

No caso do comercial de TV Bruce Willis se vê em uma enrascada com outros dois garotos em um avião. Bruce Willis luta e diz aos garotos, em inglês, para usarem os para-quedas, mas eles não entendem e chutam os para-quedas para fora do avião.

No caso da ação do Twitter os perfis das pessoas que não dominam o espanhol podem “explodir”. Para ver a ação e enviar a bomba aos seus amigos, basta acessar: www.tweetbomb.com.br e tentar desarmar a bomba, cortando os fios certos, antes da explosão. A charada está em espanhol.

Twitter: erros nos perfis do STF e Embaixada Americana

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Aconteceu hoje um erro engraçado no perfil do Superior Tribunal Federal. Veja matéria completa AQUI.

Casos como esse acontecem aos montes. Alguns são mais noticiados, outros nem tanto e quem errou tenta apagar os rastros rapidinho, mas, como tudo na web, sempre fica algum vestígio.

Certamente o administrador do perfil do STF achava que estava tuitando em seu perfil pessoal quando declarou a informação sem querer, expressando uma opinião totalmente pessoal e que, certamente, o comprometeu bastante, já que era prejudicial ao “negócio” do perfil com o qual ele trabalha.

Na semana passada aconteceu erro semelhante com o perfil da Embaixada Americana.

Apesar das mídias sociais serem excelentes ferramentas também para os negócios, devemos lembrar que são administradas por humanos e, portanto, passíveis de erro. Mas, se errar é humano, previnir é necessário!

Ficam duas importantes lições aos profissionais de comunicação que trabalham com mídias sociais:

1) ATENÇÃO sempre é fundamental! Evite trabalhar com seus perfis pessoais e profissionais abertos ao mesmo tempo. Um simples deslize pode colocar a informação errada de um em outro e causar uma enorme crise desnecessária, além de comprometer sua credibilidade como profissional. Embora você trabalhe com mídias sociais e seja muito difícil não acessar nem um pouquinho o seu perfil pessoal, tente ao máximo durante o expediente deixar toda a sua atenção voltada para sua área profissional para evitar erros.

2) Tome cuidado com que você fala nas mídias sociais, mesmo após o horário de trabalho. A web não tem hora pra ser vista.

Evite expressar opiniões radicais ou que possam comprometer o seu lado profissional. Não existem regras para isso, mas existe o velho “bom senso”. Antes de publicar qualquer coisa, pense se a divulgação poderá ter alguma consequência negativa para você ou seus clientes. Vale lembrar que, apesar de você ser uma pessoa física e independente do mundo corporativo nas suas horas de folga, muitas pessoas não vão fazer diferenciação de quem você é sabendo onde você trabalha. Muita gente vai ligar seu comentário à sua empresa ou aos perfis corporativos pelos quais você é responsável, querendo você ou não.

Não deixe de ser você mesmo e ter sua liberdade de expressão, mas saiba das consequências de suas opiniões polêmicas e esteja pronto para assumi-las, caso o faça. Lembre-se que não existe uma separação de mundos: a mesma política que você usa no ambiente corporativo real deve ser usada no ambiente corporativo e pessoal virtual. Nem sempre a gente pode dizer cara a cara tudo o que pensa sem magoar as pessoas ou criar inimizades, não é mesmo? Pois é, na web é a mesma coisa…Pense antes de publicar!

Ainda em tempo: ser preconceituoso não é cabível em nenhuma hipótese, independente de você trabalhar com mídias sociais ou não. Lembre-se de que o preconceito é mal visto em qualquer área profissional e pessoal.

Os irredutíveis que me perdoem, mas gestão de crise é fundamental!

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Essa semana acontece o Social Media Week: http://socialmediaweek.org/saopaulo/.

Assistindo ontem ao debate “Gestão de Marcas em Tempos de Mídias Sociais” é possível chegar à conclusão de que estamos todos no mesmo barco: aprendendo a lidar com essa nova mídia frente às relações humanas, que já são difíceis tanto no ambiente offline quanto no online.

Quando se fala de seres humanos nada pode ser tido como definitivo e irrefutável. Estamos em processo Beta, tanto quanto nossos projetos, e quando tudo muda o tempo todo, pisar em falso deixa e ser exceção para se tornar a regra. É como andar sobre uma ponte e construí-la ao mesmo tempo: da medo, é arriscado, mas sabe-se que é necessário para chegar ao outro lado.

Se não podemos dar uma formula mágica para atuação das empresas nas mídias sociais, ao menos é possível incentivar os testes e o arrojamento das pessoas e das marcas para serem melhores, afinal, a verdade é que os problemas online ainda são os mesmos problemas do offline. Não há um ambiente para uma coisa ou para outra. Somos todos um só e as marcas também. Mas o que isso significa?

Quando uma marca responde para você no Twitter, mas falha em todos os outros tipos de atendimento: desconfie! Deve ter muita sujeira escondida embaixo do tapete…

Significa que se há problemas com a sua marca, seus produtos ou seu atendimento não virtual, os mesmos problemas não só continuarão existindo no mundo online como ganharão uma proporção ainda maior na web. É tal do buzz!

Além disso, a reclamação pode ate chegar até você pela web, mas dificilmente a origem dela é a web. Provavelmente a internet é so o último canal que o consumidor encontrou pra fazer seu apelo a marca, mas atualmente é o canal que mais as empresas estão atentas, esquecendo-se de todos os outros que o antecedem. Se não quer que sua marca seja mal falada na internet, cuide de todos os mínimos detalhes em todos os seus processos, desde o planejamento até o pós-venda.

Mas se você for o dono de uma empresa, provavelmente pensará então que é melhor não fazer parte das midias digitais, pois se não estiver na web seus clientes não falarão mal de você. Doce engano! Sua marca vai estar na internet de qualquer maneira e nao é mais possível deter esse processo.

Ainda que seu negócio seja a banquinha de frutas da esquina, alguém vai passar lá, comer uma frutinha mal passada e tuitar: “Cruzamento da rua x com a rua y tem uma banquinha de frutas. Nao comprem! As frutas não são frescas”. E você perder seus clientes não pela web, mas pelo produto/atendimento anterior que você ofereceu. Quase sempre é assim…

Não culpe as mídias sociais pelas suas falhas. Se você falhou, foi em algum momento anterior à internet. Analise toda a sua estrutura, processos, pessoas e detecte o erro que foi apontado pelo consumidor no final do processo através das redes sociais. Detecte e resolva. Essa é a ação mais eficiente para que sua marca evite ou saia de crises.

Conveça-se e aceite que a gestão de crise é sua única solução. Se não é possível evitar o estrago que um consumidor insatisfeito pode fazer com uma marca, ao menos tente dois passos:

1) Lute para que sua empresa ofereça sempre o melhor serviço, a melhor qualidade, o melhor preço e o melhor atendimento. Caso contrário a trajetória de sua empresa e marca não fará o menor sentido, afinal, é sempre melhor previnir do que remediar, mas também nao sinta-se culpado por errar de vez em quando. Nenhuma marca terá 100% de aprovação de todos os consumidores.

2) Não se esqueca: erre rápido, aprenda rápido, conserte rápido. Tenha estratégias rápidas e profissionais competentes para gerir crises on e offline. Gestão de crise é fundamental nos dias de hoje! Admitir os erros e lutar de forma transparente para consertá-los é justo, louvável e é a reação que os consumidores esperam das empresas. Persistir nos erros é que e burrice!

Na crise do Egito as mídias sociais não são coadjuvantes

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Para mim, que trabalho com comunicação, marketing e mídias sociais, uma das imagens mais marcantes dos recentes conflitos no Egito é essa:

As redes sociais têm sido um dos principais meios usados pelos manifestantes para convocar os protestos.

Manifestantes pedem a saída do presidente Hosni Mubarak, que há 30 anos comanda o país. Nomeações excepcionais de vice-presidentes e primeiro-ministro nos últimos dias são manobras de Hosni Mubarak para não deixar o governo.

A população tem feito protestos há vários dias e o governo tem tentado detê-los de diversas formas. A internet e o sinal de telefones celulares estão fora do ar no país, de acordo com os manifestantes, embora o governo negue intervenção. Usuários e hotéis em vários pontos do país, assim como repórteres e blogueiros, também informaram que o acesso à web está interrompido.

A imagem que destaco nesse post representa o poder das mídias sociais, que são usadas para expressar a voz do povo. As mídias sociais entraram em nossas vidas para nos dar liberdade de falar, opinar, contradizer, de sermos que somos, de termos voz individual e, principalmente, coletiva.

O Google tem ajudado os manifestantes a driblar o bloqueio à internet no Egito, criando o acesso ao Twitter via telefone. Um programa grava mensagens deixadas na caixa postal de um telefone internacional e posta o conteúdo no Twitter usando a hashtag “#egypt”, junto a um link para o arquivo de áudio. As mensagens estão no @speak2tweet. Sensacional!

Cada dia mais vemos uma “nova era” trazida à tona pelas mídias sociais. É impossível não notar como as redes sociais virtuais invadiram nossa vida, transformaram nossos hábitos e explodiram um dos nossos melhores sentimentos humanos: a solidariedade!

As mídias sociais vão dominar o mundo? Elas só CRESCEM…

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Sim, as mídias sociais só crescem. #fato Ter os números atualizados desse crescimento é quase impossível, mas alguém pensou em facilitar nossa vida nesse sentido e mostrar ao mundo a dimensão e potencial dessas novas mídias.

Gary Hayes criou esse aplicativo bem interessante que mostra o crescimento atualizado o tempo todo. Impressionante!

Além dos dados de “social media” também é possível ver “games”, “mobile” e “heritage” quase em tempo real e ainda ter estatísticas retroativas. Para fazer alguma apresentação especial ou incluir números atualizadíssimos em algum trabalho é um excelente recurso.

Você consegue ficar 24 sem usar redes sociais?

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Vi hoje esse vídeo super interessante sobre o que acontece em 24h nas mídias sociais. A verdade é que o poder de atração delas é mesmo muito grande. Em 24h muita coisa acontece, muitas informações, fotos, vídeos são postados, muitos comentários são feitos e tantas outras coisas que chegam a tomar uma dimensão que amedronta, às vezes.

Foi pensando nisso tudo que me dei conta de que há muito tempo, nem sei quando, não passo um único dia sequer sem acessar as mídias sociais, não importa se estou trabalhando, de férias, na academia, na casa do namorado. Com a praticidade do mobile as redes sociais vão comigo onde quer que eu esteja e é quase impossível não acessar, não querer saber o que acontece no mundo e na vida dos seus amigos.

Acho que vale uma reflexão para todos nós. As mídias sociais dão a cada ser humano uma importância única de participação no mundo. é incrível como é importante nos sentirmos parte integrante e ativa do que acontece ao nosos redor. As mídia sociais deixaram mesmo para trás os papéis de coadjuvantes para virarmos a atração principal, os protagonistas do filme da vida.

Assistam o filme e, se possível, comentem aqui as seguintes perguntas:

1) Quanto tempo você acha que conseguiria ficar sem acessar a internet e as redes sociais, mesmo com toda a facilidade de acesso (celular, wi-fi, computador e etc) à sua disposição e alcance?

2) Você já fez alguma “loucura” para acessar a Internet? Qual?

Natal interativo nas mídias sociais

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

As mídias sociais vêm mesmo fazendo com que as empresas e agências repensem seus conceitos para criar interações com o consumidor.

Um bom exemplo é o site de Natal da HP. Veja AQUI.

O site dá várias opções para você fazer seu projeto natalino criativo disponibilizando donwloads de duendes, árevore de Natal, Papai Noel para serem montados em papel. Os desenhos viram figuras 3D que você pode rechear de doces ou qualquer outra coisa que quiser e presentear quem você gosta.

Uma forma bem interessante de fazer as pessoas interagirem com a marca produzindo elas mesmas um presente único e simpático. Confira AQUI a página especial de Natal no Facebook.

Também foi criada uma aba especial na fã page do Facebook para vc construir seu próprio cartão de Natal e enviar direto pelo FB aos seus amigos. Com várias opções de fundos e elementos para decorar, inclusive animados, os cartões ficam bem personalizados e criativos.

Ideias criativas são sempre bem vindas! Não só no Natal, mas o ano todo. Que em 2011 todos sejamos mais criativos nessa âmbito social! #socialmediafeelings